Armas de papel
Em 1936, Graciliano Ramos foi preso pelo regime de Vargas por causa de seu suposto alinhamento com o PCB, experiência que o escritor elaboraria dez anos depois em Memórias do cárcere, livro que sobrepõe relato, documento e literatura. Armas de papel, de Fábio Cesar Alves, professor da USP, realiza uma leitura ampla e profunda das Memórias, ao levar em conta a duplicidade de vozes e temporalidades que se instauram no discurso do autor: o da experiência e o da rememoração. E, ao fazê-lo, acaba por recensear boa parte da história política do Brasil no século XX e oferecer ao leitor um belo estudo sobre o papel do intelectual num país periférico.

Armas de papel

R$65,00Preço
  • Autor(a)

    Alves, Fabio Cesar
  • Editora

    Editora 34
  • Páginas

    336